Clique para conhecer Clique para conhecer Clique para conhecer Clique para conhecer Clique para conhecer Clique para conhecer

Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Frases Soltas... do Presidente!

Porque entendo que as pessoas devem saber o que pensa o Presidente  da FERLAP, nasce hoje uma nova página, da inteira responsabilidade do Presidente do CE da FERLAP, assim, todos os textos aqui colocados são da minha inteira responsabilidade.

Aqui serão colocados: pensamentos, frases e tudo o mais que me possa surgir. Uma página para um maior entendimento do que me move enquanto Pai, Pessoa, presidente e dirigente Associativo (as maiúsculas não foram colocadas ao acaso).

Os textos serão colocados sempre do mais moderno, para o mais antigo, com excepção do primeiro.

Vou começar por uma frase que tenho proferido até à exaustão e que vou manter aqui no início da página, não por um capricho qualquer, mas porque entendo, ser verdade e necessário lutar por este objectivo, hoje e sempre:

  • "A Escola é o reflexo da Sociedade." Ao contrário do que muito boa gente, muitos dos quais com um papel importante na formação dos mais novos, que o entende já como um dado adquirido, eu entendo que a “Sociedade tem que ser o reflexo da Escola”, de outra forma não faria qualquer sentido a minha presença no Movimento Associativo Parental. Entendo que a Escola tem cada vez mais um papel fundamental na formação das Mulheres e dos Homens de amanhã. Entendo que numa Sociedade em que cada vez mais se perdem valores como, honra, respeito, dignidade, humanismo, solidariedade e muitos outros que me são muito caros e em que os Pais se demitem ou são obrigados a demitir-se da sua função de primeiros formadores, cabe à Escola o papel de impedir que se percam estes e outros valores que impedem que a Sociedade se degrade ao ponto de a vida humana não ter qualquer valor ou significado. Cabe à Escola o papel de "segurar as pontas" e reavivar os valores que se estão a perder de uma forma assustadora. Cabe à Escola o papel de exportar para a Sociedade esses valores em vias de extinção. A Escola, não pode ser apenas o local onde se ensinam as letras e os números, tem que ser muito mais do que isso, tem que ser o local em que se transmitam os valores, que por um motivo ou outro, não são transmitidos em casa. A Escola tem cada vez mais um importantíssimo papel na escrita do Futuro, não só o individual, mas também e principalmente, o colectivo. Sem uma Escola de valores, corremos o sério risco de criarmos uma Sociedade SEM FUTURO…

Isidoro Roque

_________30/09/2012_________
 

Está lançado o desafio

 
Há pouco ao ler as minhas memórias do Facebook de 2012 encontrei esta frase que penso vale a pena ler e pensar sobre ela.

"Os miúdos são o futuro é neles e na Escola que temos que nos focar, quando tudo à volta deles, incluindo a família, não lhe consegue transmitir valores, tem que ser a Escola a fazê-lo. É essa a Escola que hoje temos que defender, uma Escola de Valores." Está lançado o desafio.
 
 
 
Isidoro Roque
 
 
 
_________04/05/2017__________




 

Marcha em Defesa da Escola Pública

 
 
 
 
Isidoro Roque
 
 
_________18/06/2016__________
 

 

Tribuna em Defesa da Escola Pública

 
 
 
 
Isidoro Roque
 
 
_________03/06/2016__________

 

A propósito da notícia "Ministério quer professores a dar ideias para mudar os currículos"

 
Uma boa ideia que entre outras a FERLAP há muito defende, mas há que ter em conta que a Escola não são apenas os Professores. É importante não esquecer que os Alunos são o centro da Escola e como tal devem ser ouvidos. Esquecemo-nos a maior parte das vezes de os ouvir.
 
 
 
Isidoro Roque
 
 
 
_________11/04/2016__________


Também és comuna?


Numa agradável troca de comentários políticos no Facebook, perguntaram-me se eu era comunista, ao que respondi que não podia ter cor política. O meu amigo Facebookiano perguntou-me se não podia ter cor politica por causa da FERLAP - Federação Regional de Lisboa das Associações de Pais? Respondi o seguinte, que serve para responder a algumas perguntas sobre a minha pessoa: "Claro, eu represento a FERLAP e a FERLAP representa Pais das mais variadas cores políticas, logo, eu não posso ter cor política. De outra forma, a FERLAP seria identificada com uma cor política. A FERLAP só tem uma política a defesa da Escola Universal, de Qualidade e Gratuita. Penso eu que esta política é independente das cores políticas. Se me perguntar se faço política? Sim faço todos os dias e sim tenho opinião política. Sabe? Para mim o mais importante é ser honesto comigo próprio e enquanto Presidente da FERLAP, estarei sempre do lado dos que defendem os mesmos princípios da FERLAP. Enquanto cidadão, defendo políticas que impeçam um Homem de ter que se vender a outro Homem para poder sobreviver. Se isso é ser comunista, então, sou comunista. Mas, prefiro pensar que sou um ser humano com princípios."

 

Isidoro Roque

 

_________26/03/2016__________

 

A Escola e a Missa


A propósito do Comunicado da FERLAP,  houve o seguinte comentáriona página do Facebook da FERLAP, "Coitadinha das criancas vao ficar traumatizadas por ouvirem a Ave maria, nao havia necessidade", Não me parece que quem comentou tenha conseguido perceber o significado do Comunicado... e a importância da defesa dos direitos consagrados na Constituição. Jorge Ascenção disse que a ser verdade havia crianças que iriam ser discriminadas. O problema não é esse. O problema é muito maior e começa por aqui mesmo... o "pensar-se que é discriminação" quando na realidade é a violação de pelo menos um dos direitos individuais em Democracia e da Lei, "ninguém pode ser perguntado pela sua religião", para mim, até prova em contrário, ao ser perguntado aos Pais se permitem que os seus filhos participem na missa, está-se a perguntar-lhes de forma indirecta se são católicos e praticantes.

Isidoro Roque

 

_________23/03/2016__________


Um desabafo meu no facebook, no dia que nos devolveu a Liberdade e criou a Escola Universal, com muitos defeitos é certo, mas... Universal


Hoje Aconteceu LIBERDADE.
Opss!! não foi hoje... foi há 40 Anos...

Daqui a umas horitas estarei no Largo do Carmo, acredito que seremos muitos, mas adorava ser surpreendido pela positiva e sermos aqueles que eu gostava realmente que fossemos. Até logo às 11 no Largo do Carmo.

Já agora aproveito para informar todos os que pelos vistos não me conhecem, que eu comemoro os 40 Anos do 25 de Abril de 1974 ONDE EU QUISER e não onde os outros entendem que eu os devo comemorar. O 25 de Abril de 74 permitiu-me poder fazer isso mesmo, comemorar onde eu quiser.
Portanto às 11 no Carmo e às 15 na FERLAP, Rua das Courelas, Lote 3, junto à estação do Oriente.
ESTÃO TODOS CONVIDADOS PARA OS DOIS LADOS,

Isidoro Roque

 

_________25/04/2014__________

 

"Eu não sou Doutor, sou, Isidoro Roque..."


Para quem não saiba, e parece que há muita gente que não sabe ou confunde com outra coisa qualquer, vou tentar esclarecer: EU NÃO TENHO NADA CONTRA OS DOUTORES, bem antes pelo contrário, sem eles eu NÃO seria o que sou hoje, mas também sem os outros que não são Doutores não seria, EU TENHO É CONTRA O DOUTORISMO (nem sei se a palavra existe, mas serve para o pretendido) E CHATEIA-ME QUE ME TRATEM POR DOUTOR SEM O SER. Também me chateia que o Dr. antes do nome valide opiniões, mesmo que o Dr. não tenha nunca estudado nada relacionado com a matéria em discussão. Bem, espero ter conseguido esclarecer esta minha coisa dos DR's. e aproveitar para dizer o seguinte, sim, QUERO ser Doutor, estou a trabalhar para isso, sim quero poder dizer o meu nome é Isidoro Roque quando me tratarem por Dr. sem ser acusado de qualquer coisa menos própria, bem provavelmente com esta mentalidade de doutorismos vigente ainda serei acusado de convencido, mas... é assim que eu sou. Para quem não leu o meu "Sobre" no facebook, entre muitas outras coisas, sou com MUITO ORGULHO, 1º Sargento da Marinha Portuguesa e aprendiz de Sociólogo no ISCTE.

Isidoro Roque

_________03/02/2014__________

 

Reflexão

A escola hoje

 

O Sr. Ministro diz que a o ano lectivo começou normalmente.

Eu, olho para a escola e vejo: turmas sem professores, escolas sem assistentes operacionais, secretarias a funcionar uma hora por dia, Manuais a aumentar de preço, Manuais que aparentemente são iguais, mas afinal não são, Alunos perdidos na escola, Alunos a ser colocados no percurso alternativo sem conhecimento e sem consentimento dos Pais, turmas de 20 alunos constituídas quase exclusivamente por marginais, roubos e furtos, Professores assustados, Professores, Directores e Pessoal não Docente sem saber o que fazer para resolver os problemas que lhes surgem diariamente, salas de aulas com 40 alunos, droga a ser passada e consumida na escola, alunos indisciplinados com 18 anos a continuar na escola, alunos a agredir (agredir não é apenas bater), colegas, Auxiliares e Professores, a impunidade com que aqueles praticam os seus actos, professores a ser ameaçados, o medo dos professores em denunciar as situações, seja, por medo dos alunos ou por medo da “mobilidade”, as escolas a esconder estas situações, Pais a fechar as Escolas porque querem melhor para os seus Filhos, a falta de educação, a falta de respeito, a falta de dignidade, a falta de orgulho, o desinteresse, o desistir, Escolas em que as bocas-de-incêndio não funcionam, Escolas sem material, ginásios, bibliotecas e bares que não funcionam, Escolas a cair, Escolas reconstruídas com defeitos enormes e que não são corrigidos.

Vejo os responsáveis a fugir às responsabilidades, vejo falta de respostas, vejo falta de diálogo, vejo hipocrisia, vejo a resignação, vejo os responsáveis dizer o que fica bem dizer, o politicamente correcto, vejo, como me disse uma professora, “brincar às escolinhas”, vejo os cortes cegos na educação…. Enfim, vejo a destruição da Escola Pública….

O que eu gostaria de ver: a preocupação e o desejo de resolver, a punição dos responsáveis e uma Política de Educação para o FUTURO.

Enfim, vivemos num País de faz de conta, em que brincamos à democraciazinha, em que vivemos de aparências, em que o que interessa é o presente e os benefícios que podemos tirar dele.

A continuar assim, viajamos no sentido completamente contrário ao sonho que nasceu com o 25 de Abril de 1974, a DEMOCRACIA e a ESCOLA DE QUALIDADE UNIVERSAL E GRATUITA.

A Escola Pública, é a única possibilidade de a nossa sociedade recuperar os valores que se estão a perder a uma velocidade tal, que caminhamos rapidamente para um vazio de valores, se entendermos por valores, sem qualquer tipo de ordem, a honra, a solidariedade, a justiça, a dignidade, o respeito e a educação, entre muitos outros que faziam parte da nossa vida enquanto pessoas.

Antes de 74, era importante um povo sem instrução e submisso, o hoje parece que se quer da mesma forma um povo sem instrução, só que, o submisso está a passar a “sem valores” e isso será o fim da sociedade como a conhecemos. Ou arrepiamos caminho, ou o futuro será muito diferente daquele que pretendemos e, infelizmente, não será melhor.

Há que repensar o que pretendemos da EDUCAÇÃO em PORTUGAL. Há que definir uma Politica de Educação para o FUTURO que, não pode estar dependente dos mandatos dos ministros ou, mesmo, dos secretários de estado.

HÁ QUE PENSAR O FUTURO.

Isidoro Roque

_________09/10/2013__________ 

 

Estou de Férias, como provavelmente grande parte dos que ainda podem gozar Férias, no entanto, como Pai e Presidente da FERLAP - Federação Regional de Lisboa das Associações de Pais, não pude deixar de acompanhar as medidas consecutivas emanadas do Ministério da Educação e Ciência. Tendo em atenção tudo o que vou lendo e ouvindo na Comunicação Social, não posso deixar de estar preocupado com o que nos espera no início do próximo Ano Lectivo. (Pode ver mais aqui)

Isidoro Roque

_________26/08/2013__________

Os Sindicatos dos Professores, tiveram em consideração as preocupações dos Pais, talvez tinham lido o Comunicado da FERLAP, que alguns criticaram, e assumiram o compromisso de que no caso de o MEC alterar a data dos Exames, não iriam alterar a data da Greve, mostrando em minha opinião, vontade de não prejudicar os Alunos, mas apenas de marcar a sua posição contra as políticas do governo.

Assim, não consigo compreender por que motivo o MEC não altera a data dos Exames.

A Educação precisa de Governantes Inteligentes, mas...

Isidoro Roque

_________16/06/2013__________

Serve a notícia "Matosinhos: Vigilante morre depois de desacatos com aluno" para voltar a falar em algo que já há muito e por muitas vezes disse "O que pretendemos realmente para as nossas Escolas?" há que pensar e decidir, a Escola não pode ser o reflexo da sociedade cada vez mais desumana em que vivemos. A sociedade vai ter que ser o reflexo da Escola que queremos para os nossos filhos, uma Escola de valores. Eu não sou psicólogo, nem sociólogo (estou a tentar sê-lo), sou militar de carreira, talvez por isso mesmo, menos sensível ao que se vai dizendo acerca da integração. Entendo que a integração tem e deve ser feita, não podemos é nunca, colocar em causa a vida e o bem estar das pessoas, sejam elas alunos, professores ou funcionários. A integração de uns, não pode ser conseguida à custa da desintegração da Escola. A Escola, não pode ser um local para onde os alunos, professores e funcionários, tenham receio de ir. A Escola não pode ser o local onde actos ilícitos e criminosos, ocorram impunemente. TEMOS QUE PENSAR O QUE QUEREMOS DA ESCOLA. Não podemos dizer frases bonitas, sem pensar nas consequências. A integração não pode ser feita à custa dos outros utentes da Escola. Como fazer? Eu tenho algumas ideias, podem é ferir algumas susceptibilidades, que normalmente são daqueles que não têm os filhos nas Escolas “complicadas”…. com isto não quero dizer, que nem todos devem ir à Escola, bem antes pelo contrário. TODOS devem ir à Escola, mas ir à Escola, não é sinónimo de DESTRUIR a Escola.

Isidoro Roque

_________01/02/2013__________

Saturday the 19th. .